Anita e Edu embarcam para a Índia

22 de fevereiro de 2014 em NAS TERRAS DE SHIVA

 

Os jornalistas Edu Cavalcanti e Anita Martins acabam de receber o visto de entrada na Índia. Residentes em Sambaqui (Florianópolis-SC) e atualmente na cidade de Melbourne, na Austrália, embarcam na próxima terça-feira (25.2) para uma permanência de aproximadamente cinco meses entre os indianos.

A porta de entrada será a cidade litorânea de Kochi (ou Cochim), um dos principais portos na costa ocidental do país, com cerca de 600 mil habitantes, onde ainda se encontram as marcas do domínio português: a Igreja de São Francisco, onde foi sepultado Vasco da Gama (o corpo foi levado depois a Portugal), a Fortaleza de Cochim e a Sinagoga de Paradesi, erguida em 1568.

Edu e Anita,  casamento budista na Ponta do Sambaqui (Sambaqui, Florianópolis-SC). Foto/Arquivo: Celso Martins

Edu e Anita, casamento budista na Ponta do Sambaqui (Sambaqui, Florianópolis-SC). Foto/Arquivo: Celso Martins

Após alguns dias de adaptação eles seguem para Bangalore, distante cerca de 550 quilômetros, no interior indiano, onde participam da conferência Sintonize-se com a Mãe Terra – A Economia da Felicidade, organizada pela Sociedade Internacional de Ecologia e Cultura (International Society for Ecology and Culture), a Shikshantar, Udaipur, India e o Bhoomi Network and College (Índia), Bangalore.

Bangalore, no planalto de Decão, tem cerca de 8,4 milhões de habitantes, sendo a terceira cidade mais populosa da Índia (atrás de Mumbai e Delhi), abrigando o maior pólo de alta-tecnologia e telecomunicação do país,  além de ser uma das 10 cidades mais “empreendedoras” do mundo. Entre os palestrantes da conferência estão a representante australiana Helena Norberg-Hodge, Charles Eisenstein (Estados Unidos), Bayo Akomolafe (Nigéria) Claude Alvares (Índia), Gao Ming (China),  Beppe Grillo (Itália), Manish Jain (Índia) Yoji Kamata (Japão), Ashish Kothari (Índia) Keibo Oiwa (Japão), Samdhong Rinpoche (Tibete) e Devinder Sharma (Índia).

Entre as regiões que eles pretendem visitar está Ladakh, no estado de Jammu e Caxemira, no norte indiano, com altitudes de três mil metros. É uma das fronteiras mais conflituosas do mundo, disputada por Paquistão, num lado, e a China de outro. Antes de chegar nessa área eles vão visitar Varanasi, nas margens do lendário e histórico rio Ganges (norte da Índia), Ayodhya e Goa, essa última também possessão portuguesa por cerca de 400 anos. “Não temos um roteiro definido. Existem algumas cidades que pretendemos visitar, mas tudo vai depender de indicações que a gente receba no caminho”, explica Anita, que pretende usar a rede ferroviária indiana nos deslocamentos.

O casal retorna ao Brasil somente em agosto, acompanhando Warwick Brown, residente em Byron Bay (Austrália), que pretende conhecer Salvador, na Bahia, deslocando-se até Florianópolis, depois Buenos Aires (Argentina) e algumas regiões chilenas. De Santiago, no Chile, Warwick retorna ao país de origem, liberando Anita e Edu para o regresso (mais ou menos) definitivo a Sambaqui.

 

 

Share on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookPin on PinterestEmail this to someone