Irmandade do Divino comemora 90 anos

29 de maio de 2017 em Galeria de videos, Memória

 

 

Irmandade do Divino, Santo Antônio de Lisboa, 26 de maio de 2017. Fotos: Celso Martins.

Irmandade do Divino, Santo Antônio de Lisboa, 26 de maio de 2017. Fotos: Celso Martins.

Dom Joaquim Domingues de Oliveira, bispo de Florianópolis, chegou de carro em Santo Antônio de Lisboa, acompanhado do frei Norberto Tambosi OFM.

Era o dia 26 de maio de 1927, feriado. Primeiro houve missa pela manhã. Em seguida todos se dirigiram até a sede do clube 7 de Setembro, na rua Cônego Serpa, onde foi eleita a primeira diretoria da Irmandade do Divino Espírito Santo de Santo Antônio de Lisboa.

À tarde, depois do almoço, Dom Joaquim ainda participou da crisma antes de retornar ao Centro da Capital. O pedido de criação da Irmandade foi encaminhado em 8 de abril daquele ano pelo padre Bernardo Bläsing.

Padre Edinei.

Padre Edinei.

As informações são do professor Sérgio Luiz Ferreira, baseadas em pesquisas nos livros de atas da Irmandade e acervo da Cúria Metropolitana e transmitidas aos participantes da missa desta sexta-feira (26.5), celebrada pelo padre Edinei da Rosa Cândido, na matriz de Nossa Senhora da Necessidades, pelos 90 anos da Irmandade.

Em seguida houve coquetel de confraternização com  bolo e descerramento de placa comemorativa aos 90 anos da Irmandade, por dona Vanda Maria da Cunha Martins e o padre Edinei.

Os 19 provedores da Irmandade.

Os 19 provedores da Irmandade.

 

Primeira diretoria

Diretor – Padre Bernardo Bläsing.

Provedor – Victor Fangier (na época presidente do clube 7 de Setembro).

Vice-provedor – Sebastião Alexandrino de Melo.

Tesoureiro – Antônio Pereira Machado.

Procurador geral – Manoel Leopoldo da Luz.

Procuradores regionais – Sambaqui, Antônio Fabriciano Queiroz; Cacupé, Luiz Gonzaga Machado; Saco Grande, Francisco Machado; Ratones, Laurindo Januário da Costa; Barra, Manoel Pedro da Ventura.

Conselheiros – Isid de Souza Dutra, Alexandre Moisés, Saul Wagner, Thomáz Camilo da Cunha, Ricardo Soares, Aníbal da Rocha Pires, Agrícolo Leopoldo, João Sartorato, Ignácio Pereira do Nascimento, João Pulcênio da Silva, Cassiano Areias e Leopoldino Francisco Pinheiro.

Zeladoras – Braulina Campos Mello e Itelvina B. da Silva.

 

SAIBA MAIS

As remotas origens das Irmandades e Festejos do Divino nos Açores. Por Joi Cletison.

 

Share on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookPin on PinterestEmail this to someone