A história dentro d’água (14): corveta ‘Trajano’

16 de junho de 2017 em A história dentro d'água

 

Trajano Augusto de Carvalho. Foto: Marinha do Brasil.

Trajano Augusto de Carvalho. Foto: Marinha do Brasil.

O catarinense Trajano Augusto de Carvalho foi um grande construtor naval. Nascido em Desterro/Florianópolis em 1830, iniciou como operário no Arsenal Real da Marinha (Rio) em 1848. Criou um novo formato de carena para os navios (1868), proporcionando menor resistência ao deslocamento e assegurando maior velocidade e economia de combustível. O invento foi patenteado em 1870.

Esta nova forma de casco foi adotada na corveta “Trajano” e outros navios construídos no Arsenal desde esse tempo. O almirantado britânico também adotou o modelo, fabricando canhoneiras para a Marinha Real inglesa pelo projeto do engenheiro brasileiro. O catarinense assumiu o lugar do construtor pioneiro, Napoleão João Baptista Level.

Autor de “Nossa Marinha – Seus Feitos e Glórias”, lançado pela Spalla Editora – Fundação Emílio Odebrecht (Rio de Janeiro, 1986).

Sempre que possível retornava à terra natal. Numa dessas ocasiões o jornal O Despertador (24.10.1876), destacou:

O engenheiro e inventor Trajano Augusto de Carvalho era irmão do dramaturgo brasileiro Álvaro Augusto de Carvalho, que dá nome ao principal e mais antigo teatro de Florianópolis, o Álvaro de Carvalho.Trajano morreu de febre tifóide, contraída quando esteve no comando da canhoneira “Ipiranga”, como primeiro-tenente, na Guerra do Paraguai, sepultado em Buenos Aires no dia 5 de setembro de 1865. MAIS: Wikipedia, Fapesp.

 

Batalha do Riachuelo em aquarela de Trajano Augusto de Carvalho. Acervo: Palácio Pedro Ernesto.

Batalha do Riachuelo em aquarela de Trajano Augusto de Carvalho. Acervo: Palácio Pedro Ernesto.

Em missão

Corria o ano de 1885. “Chegou ontem da corte e acha-se no ancoradouro de Sambaqui a corveta de guerra ‘Trajano’, sob o comando do sr. capitão de fragata Pereira da Cunha, a qual trouxe por missão remover ou destruir o navio português ‘Flor do Porto’, que flutuava virado à entrada da barra norte”. (Regeneração, 13 de maio de 1885)

 

Sarrafo

O noticiário da movimentação naval ajuda a alimentar a concorrência entre os dois jornais da época (segunda metade do século 19). Na pequena nota ao lado, o jornal Regeneração de 10 de abril de 1886 (ligado aos liberais), espinafra O Conservador (ligados aos conservadores).

 

 

Share on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookPin on PinterestEmail this to someone