Moradores relatam assaltos e roubos

1 de julho de 2017 em Segurança

 

Na Barra. Fotos de moradora.

Na Barra. Fotos de moradora.

Ocorrências são registradas na véspera de reunião do Conseg para debater o projeto Rede de Vizinhos, nesta segunda-feira (3.7)

 

Diversos casos de assaltos e roubos mantém o distrito em sobressalto. “Estamos horrorizados!! Um lugar de sossego está virando vítima de bandidos”, desabafa uma moradora da rodovia Isid Dutra, trecho pavimentado após o morro da Cruz.

No Facebook.

No Facebook.

Na semana passada tentaram entrar na casa dela. Primeiro forçaram as janelas e não conseguiram. “Usaram muita força e com chave estragaram a porta mas devido aos cadeados não entraram”. Depois foram até a porta da frente. O arrombamento foi interrompido pela movimentação de vizinhos. “Quando eles viram o morador correram e foram embora”, a bordo de um veículo Peugeot 307 de cor escura.

Uma vizinha sua, professora, ficou sem o computador de trabalho e um aparelho de TV, entre outros objetos levados pelos ladrões, possivelmente os mesmos.

 

Caminho dos Açores

Moradores relataram assaltos nas redes sociais dias antes. “Dois morenos altos, vestindo moletom, dirigindo um Astra verde escuro acabaram de assaltar [A. S. e seu marido M.], em frente a Cupcakes no Caminho dos Açores”, em Santo Antônio de Lisboa. “O assalto foi a mão armada”. O casal reside no Condomínio Caminho dos Açores. “Eles levaram os celulares”.

Nos dois casos a PM foi acionada e realizou diligências.

 

Chave micha

Casal estacionou o veículo hoje (sábado, 1.7) a tarde na rua Padre Lourenço de Andrade, em Santo Antônio. Quando retornou o veículo havia sido aberto (sem marcas de arrombamento) e seu interior vasculhado. Como não acharam nada de valor foram embora sem levar nada. A PM foi informada da ocorrência e efetuou buscas. Usaram uma chave micha.

 

Conseg

O Conseg Costa do Sol Poente se reúne nesta segunda-feira (3.7), às 20 horas, no salão paroquial da igreja de Nossa Senhora das Necessidades, em Santo Antônio de Lisboa.

Em pauta a “Rede de Vizinhos”, iniciativa que prevê a criação de grupos com 10 a 15 moradores, ligados a um Observatório instalado no 21º BPM, em Jurerê Internacional.

O presidente do Conseg, Alexandre Galvão, acredita que a adesão entre 40% e 50% dos moradores pode criar um ambiente impróprio à ação de meliantes. A Rede é uma versão aprimorada do projeto Vizinho Solidário e inclui a colocação (opcional) de placas nas residências.

 

Dúvidas sobre a Rede de Vizinhos

Durante a reunião do Conseg vão ser respondidas as dúvidas abaixo (entre outras):

- As placas na rua de aviso? Obrigatório ou facultativo?

- Existem regras para participar?

- Como começar?

- Como mudar um grupo Vizinho Solidário por um grupo Rede de Vizinhos?

- Quais as vantagens da Rede de Vizinhos?

- Não quero participar. Haverá consequências?

- Moro no condomínio. Posso também participar?

- Como funciona essa prevenção e porque?

- Tenho Seguro para minha casa. Dá para negociar um desconto se participo da Rede de Vizinhos?

Share on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookPin on PinterestEmail this to someone