PMF analisa ameaças ao Casarão dos Andrade

1 de julho de 2017 em Geral

 

Fausto Andrade (esq) e secretário Roberto Garcia (dir), com lideranças e o vereador Dinho. Foto: Celso Martins.

Fausto Andrade (esq) e secretário Roberto Garcia (dir), com lideranças e o vereador Dinho. Foto: Celso Martins.

Técnicos da secretaria municipal da Infraestrutura fizeram um levantamento dos desníveis na rua Caminho dos Açores, responsáveis por rachaduras em casas recentes e históricas, como o Casarão e Engenho dos Andrade. Quando os veículos passam por esses desníveis o solo treme e afeta as construções.

O problema tem origem nas caixas de visitação e inspeção do sistema de esgotos da Casan, além dos remendos decorrentes de intervenções para conter vazamentos de água tratada. “A casa treme toda, parece que vai ruir”, conta o morador Cláudio Andrade, que se reuniu com o secretário de Infraestrutura, Roberto Garcia, acompanhado de outras lideranças e do vereador Edinon Manoel da Rosa (Dinho), presente com assessores.

Trepidação por desníveis na rua Caminho dos Açores danifica imóvel histórico. Foto/Arquivo: Celso Martins.

Trepidação por desníveis na rua Caminho dos Açores danifica imóvel histórico. Foto/Arquivo: Celso Martins.

“Depois que receber esse levantamento vamos analisar o que pode ser feito pela Prefeitura e o que cabe à Casan, de quem vamos cobrar providências”, disse Garcia. Os técnicos percorreram a rua Caminho dos Açores na tarde de sexta-feira (30.6). No início da próxima semana devem sair os resultados.

Os mesmos profissionais vistoriaram a área que vai servir de estacionamento para a Casa de Cultura Clara Manso de Avelar (antiga Intendência), na rua Cônego Serpa. “Estamos encontrando dificuldades para realizar eventos no local, sempre tomado por veículos”, explica Andrade.

 

Reivindicações

Na mesma reunião, realizada na última quarta-feira (28.6), a Associação de Moradores de Santo Antônio de Lisboa entregou duas listas de reivindicações, uma encaminhada ao vereador Dinho e outra ao prefeito Gean Loureiro, apadrinhadas pelo secretário Roberto Garcia. As duas seguem abaixo, na íntegra.

 

 DEMANDAS DO DISTRITO DE STO. ANTÔNIO DE LISBOA

Excelentíssimo Prefeito de Florianópolis

Sr. Gean Loureiro,

A AMSAL, representando os moradores do Bairro de Santo Antônio de Lisboa e ciente do vosso interesse em atender a esta comunidade, elencou uma lista de reinvindicações que compreendem as principais necessidades do Bairro a respeito de mobilidade e infraestrutura:

1 – Recuperação da pavimentação da Rua Caminho dos Açores: Após a implementação da rede de esgoto, a rua apresentou profundos adensamentos, provocando perigosos ressaltos nas tampas de inspeção no meio da rua. Também retenção de água da chuva, colocando em risco pedestres, ciclistas e condutores de veículos. Destacamos que tal problema tem provocado intensas trepidações no solo, a ponto de causar rachaduras nas construções históricas ao longo da estrada.

2 – Delimitação de área para eventos culturais ao lado da Casa de Cultura Dna. Clara Manso de Avelar: Solicita-se um equipamento permanente para a contenção do estacionamento de automóveis ao lado da referida casa conforme o espaço historicamente reservado para esta propriedade. Tal espaço é fundamental para eventos como: Apresentação de Boi de Mamão, Sarau, Danças, exposições e outros. Pedimos um estudo para o uso de equipamento adequado ao ambiente, já que o local é tombado pelo Patrimônio Histórico.

3 – Proteção para pedestres na Rua Cônego Serpa: Pedimos o estudo de um sistema de proteção para que pedestres não sejam atingidos por veículos ao transitarem em tal rua. Fundamental que seja esteticamente adequado ao ambiente historicamente tombado.

4 – Organização do estacionamento na Rua Cônego Serpa: Sugerimos poucas vagas com pisca alerta obrigatório de 15 min e barreiras de delimitação para evitar estacionamento indevido nas demais áreas.

5 – Colocação de placas “Proibido Estacionar” de um dos lados ao longo da Estrada Caminho dos Açores: Pedimos que apenas o lado mais próximo ao mar seja permitido o estacionamento. Solicitamos ainda que haja refúgios de proibido estacionar a cada 50m para permitir o ajuste do trânsito para a passagem de veículos de grande porte. Destacamos que a área na frente do Paço Imperial deve ser impedido o estacionamento em virtude do acesso da Rua Aldo Queiroz.

6 – Estudo de Mobilidade para o Centro Histórico de Sto. Antônio: Avaliar as três alternativas que já foram sugeridas pela comunidade. A primeira é a continuação da rua XV de Novembro, ligando com o Caminho dos Açores, a segunda é a continuação da rua General Aleluia ligando com o Caminho dos Açores, a terceira é a transformação da Rua Cônego Serpa em calçadão, associado às duas primeiras alternativas.

7 – Transferência do ponto de ônibus ao lado da Praça Getúlio Vargas: Passar para a frente da Escola Paulo Fontes para evitar os constantes transtornos de trânsito.

8 – Desbastamento da Barreira no morro do Caminho dos Açores: Terreno da Casa Paroquial possui barreira que constantemente desliza para a estrada e pode causar acidente grave.

9 – Pavimentação de trecho de aproximadamente 50m da rua General Aleluia: Tal melhoria é essencial para a realização da Festa do Divino, pois permitirá melhor integrar o caminho do Cortejo entre a Sede da AMSAL e a Igreja, onde circularão as pessoas envolvidas na Festa.

Somos conscientes do respeito e cuidado que dirige aos cidadãos que residem em Santo Antônio de Lisboa. Agradecemos vossa atenção e colocamo-nos à inteira disposição para colaborar no encaminhamento das reinvindicações apontadas e demais ações que possam ser úteis a esta Gestão. Solicitamos, ainda, o urgente retorno para discutirmos os assuntos pontuados com os órgãos adequados da Prefeitura.

Sem mais, subscrevo-me.

Atenciosamente,

Fausto Agenor de Andrade

Presidente da AMSAL

Florianópolis, 28 de junho de 2017.

***

DEMANDAS DO DISTRITO DE STO. ANTÔNIO DE LISBOA

Ilustríssimo Vereador

Sr. Edinon Manoel da Rosa – Dinho

A AMSAL, representando os moradores do Bairro de Santo Antônio de Lisboa e ciente do vosso interesse em atender a esta comunidade, elencou uma lista de reinvindicações que compreendem as principais necessidades do Bairro a respeito de mobilidade e infraestrutura:

1 – Recuperação da pavimentação da Rua Caminho dos Açores: Após a implementação da rede de esgoto, a rua apresentou profundos adensamentos, provocando perigosos ressaltos nas tampas de inspeção no meio da rua. Também retenção de água da chuva, colocando em risco pedestres, ciclistas e condutores de veículos. Destacamos que tal problema tem provocado intensas trepidações no solo, a ponto de causar rachaduras nas construções históricas ao longo da estrada.

2 – Delimitação de área para eventos culturais ao lado da Casa de Cultura Dna. Clara Manso de Avelar: Solicita-se um equipamento permanente para a contenção do estacionamento de automóveis ao lado da referida casa conforme o espaço historicamente reservado para esta propriedade. Tal espaço é fundamental para eventos como: Apresentação de Boi de Mamão, Sarau, Danças, exposições e outros. Pedimos um estudo para o uso de equipamento adequado ao ambiente, já que o local é tombado pelo Patrimônio Histórico.

3 – Proteção para pedestres na Rua Cônego Serpa: Pedimos o estudo de um sistema de proteção para que pedestres não sejam atingidos por veículos ao transitarem em tal rua. Fundamental que seja esteticamente adequado ao ambiente historicamente tombado.

4 – Organização do estacionamento na Rua Cônego Serpa: Sugerimos poucas vagas com pisca alerta obrigatório de 15 min e barreiras de delimitação para evitar estacionamento indevido nas demais áreas.

5 – Colocação de placas “Proibido Estacionar” de um dos lados ao longo da Estrada Caminho dos Açores: Pedimos que apenas o lado mais próximo ao mar seja permitido o estacionamento. Solicitamos ainda que haja refúgios de proibido estacionar a cada 50m para permitir o ajuste do trânsito para a passagem de veículos de grande porte. Destacamos que a área na frente do Paço Imperial deve ser impedido o estacionamento em virtude do acesso da Rua Aldo Queiroz.

6 – Estudo de Mobilidade para o Centro Histórico de Sto. Antônio: Avaliar as três alternativas que já foram sugeridas pela comunidade. A primeira é a continuação da rua XV de Novembro, ligando com o Caminho dos Açores, a segunda é a continuação da rua General Aleluia ligando com o Caminho dos Açores, a terceira é a transformação da Rua Cônego Serpa em calçadão, associado às duas primeiras alternativas.

7 – Transferência do ponto de ônibus ao lado da Praça Getúlio Vargas: Passar para a frente da Escola Paulo Fontes para evitar os constantes transtornos de trânsito.

8 – Desbastamento da Barreira no morro do Caminho dos Açores: Terreno da Casa Paroquial possui barreira que constantemente desliza para a estrada e pode causar acidente grave.

9 – Pavimentação de trecho de aproximadamente 50m da rua General Aleluia: Tal melhoria é essencial para a realização da Festa do Divino, pois permitirá melhor integrar o caminho do Cortejo entre a Sede da AMSAL e a Igreja, onde circularão as pessoas envolvidas na Festa.

Somos conscientes do respeito e cuidado que dirige aos cidadãos que residem em Santo Antônio de Lisboa. Agradecemos vossa atenção e colocamo-nos à inteira disposição para colaborar no encaminhamento das reinvindicações apontadas e demais ações que possam ser úteis à Cidade. Solicitamos, ainda, o urgente retorno para discutirmos os assuntos pontuados com os órgãos adequados da Prefeitura.

Sem mais, subscrevo-me.

Atenciosamente,

Fausto Agenor de Andrade

Presidente da AMSAL

Florianópolis, 28 de junho de 2017.

 

 

Share on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookPin on PinterestEmail this to someone