Guarani do Morro dos Cavalos ameaçados

11 de agosto de 2017 em Memória

 

Apoiadores da causa dos Guarani do Morro dos Cavalos (Palhoça) denunciam agressões e ameaças aos indígenas:

A Terra indígena de Morro dos Cavalos aguarda há mais de vinte anos pelo seu pleno reconhecimento e homologação. Hoje, com os fortes retrocessos políticos que vivemos e com o avanço do capital sobre as terras e territórios da maioria da população, a situação dos companheiros Guarani tem ficado cada vez pior. Apesar disto, a luta pela terra tradicionalmente ocupada, situada no município de Palhoça, tem seguido em frente, com a retomada de uma nova área, a aldeia Yakã Porã, liderada pela cacique Eli Karai.

Todavia, a reação anti-indígena, liderada por vereadores e empresários, tem crescido no dia a dia dos Guarani, com ameaças diretas, manifestações públicas “anti-indígena”, e agora, uma audiência pública” na Enseada do Brito,proposta por um vereador do DEM, colocando em pauta mais uma vez a legitimidade da luta pela Homologação e visando desestabilizar a resistência e a luta pacifica dos Guarani. Estas ações estão articuladas com os mesmos setores que a nível nacional criaram a CPI da Funai e Incra, a PEC 215, a Portaria 303 da AGU entre outras, ancoradas na tese do “marco temporal”, e outras ideias inconsistentes. Estas, apesar de falaciosas, tem encontrado defensores no legislativo, executivo e judiciário, e se traduzido na criminalização de líderes indígenas, antropólogos, indigenistas e no crescimento da insegurança e da violência entre os povos indígenas do Brasil inteiro.

Neste contexto, consideramos urgente juntar esforços e organizar uma firme rede de apoio aos Guarani.

 

Saiba mais

Nós já estamos morrendo através do marco temporal” e “Indígenas, juristas e antropólogos unem vozes contra o marco temporal“.

 

 

Share on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookPin on PinterestEmail this to someone